Folheim for mobile

Eu e Fidel

E lá se foi “El Comandante”. Fidel Castro foi um dos ícones do século 20; para o bem ou para o mal, morreu um dos últimos estadistas dos anos de chumbo do planeta Terra.

Cresci lendo e absorvendo quase tudo sobre a Revolução Cubana. Tinha Fidel como um dos heróis do meu subconsciente, aquele que ousou enfrentar Tio San, praticamente no seu quintal, e ganhou a parada. Não com armas, nem com guerra, mas na diplomacia, na inteligência e no jogo de xadrez que é o poder. Cuba antes de Fide... Leia +

(Marco Clerris)

Editora Samba Books

Cotidiano

Mamãe, mamãe, mamãe

Quando eu era bem criança, na semana do dia das Mães a gente sempre cantava na escola aquela música do "avental todo sujo de ovo". Quem se Lembra? Vai um trechinho aqui: "Mamãe, mamãe, mamãe, eu me lembro o chinelo na mão, o avental todo sujo de ovo, se eu pudesse eu queria outra vez mamãe, começar ... Leia +

(Marcio Poletto)

Cotidiano

Quem Espera, Sempre Cansa!

Quantas e quantas vezes você já não ouviu que “em época de crise todo mundo dá um jeito de ganhar algum dinheirinho extra”. É verdade! Mas não uma verdade absoluta. Tem muitos e muitos por aí que tem um relacionamento estranho com a crise. Simplesmente sentam e esperam ela passar.

Um exem... Leia +

(Marco Clerris)

MP-Attus Softwares de gestão para Tradings

eBooks e Literatura


PESSOA E SEUS HETERÔNIMOS

(Clássicos - Editora Samba Books - ebook)

Considera-se que a grande criação estética de Pessoa foi a invenção heteronímica que atravessa toda a sua obra. Os heterónimos, diferentemente dos pseudónimos, são personalidades poéticas completas: identidades que, em princípio falsas, se tornam verdadeiras através da sua manifestação artística própria e diversa do autor original. Entre os heterónimos, o próprio Fernando Pessoa passou a ser chamado ortónimo, porquanto era a personalidade original. Entretanto, com o amadurecimento de cada uma da... Leia +

sobre Fernando Pessoa


Fernando António Nogueira Pessoa (Lisboa, 13 de Junho de 1888 — Lisboa, 30 de Novembro de 1935), mais conhecido como Fernando Pessoa, foi um poeta e escritor português. É considerado um dos maiores poetas da Língua Portuguesa, e da Literatura Universal, muitas vezes comparado com Luís de Camões. O crítico literário Harold Bloom considerou a sua obra um "legado da língua portuguesa ao mundo". Por ter sido educado na África do Sul, para onde foi aos seis anos em virtude do casamento de sua mãe, Pessoa aprendeu perfeitamente o inglês, língua em que escreveu poesia e prosa desde a adolescência. Das quatro obras que publicou em vida, três são na língua inglesa. Fernando Pessoa traduziu várias obras inglesas para português e obras portuguesas (nomeadamente de António Botto e Almada Negreiros) para inglês. Ao longo da vida trabalhou em várias firmas comerciais de Lisboa como correspondente de língua inglesa e francesa. Foi também empresário, editor, crítico literário, jornalista, comentador político, tradutor, inventor, astrólogo e publicitário, ao mesmo tempo que produzia a sua obra literária em verso e em prosa. Como poeta, desdobrou-se em múltiplas personalidades conhecidas como heterónimos, objeto da maior parte dos estudos sobre sua vida e sua obra. Centro irradiador da heteronímia, auto-denominou-se um drama em gente. fonte: (http://pt.wikipedia.org/wiki/Fernando_Pessoa).